Stakecheia

Leaderboard - KTO

Viagem no tempo

Edward Hooligan, o pai do hooliganismo

O irlandês formou na Londres do fim do século 19 a gangue conhecida como The Hooligan Boys

WTG-bet

PinUp-Bet

melhor site de apostas futebol
Football-Hooliganism--007
Torcedores arruaceiros passaram a ser chamados pelo sobrenome de Hooligan (Foto: Divulgação)

A melhor tradução para “hooliganismo” é “vandalismo”. Embora pareça um fenômeno recente, que passou a ser duramente combatido a partir da década de 1980 na Inglaterra, esse é na realidade um termo bem antigo. Nascido no fim do século 19, sob a aura de um homem que ficou tão famoso que seu sobrenome passou a representar qualquer arruaceiro.

Não se sabe se Edward Hooligan gostava de futebol, esporte que nascera poucas décadas antes e já era uma febre na ilha. Vadio, bêbado e delinquente, seu comportamento o levou várias vezes à prisão. Irlandês de nascimento, ele formou em Londres uma gangue que ficou conhecida como The Hooligan Boys, depois O’Hooligan Boys.

Em 1894, pela primeira vez um relatório da polícia se referiu às arruaças desse grupo citando o sobrenome. Quatro anos depois, um assassinato cometido por membro da gangue tornou de vez a palavra popular. No dia 22 de agosto de 1898, o jornal Daily Graphic tachou de “hooliganism” a avalanche de brutalidade no sul de Londres.

> LEIA TAMBÉM

Essa má fama foi imortalizada no clássico livro “The Hooligan Nights”, lançado pelo jornalista Clarence Rook em 1899. Rapidamente, o termo virou referência para outras gangues ou bandos de bêbados, chegando a ser citado em romances de Arthur Conan Doyle (em “The Adventure of the Six Napoleons”, de 1904) e HG Welles (“Tono-Bungay”, de 1909).

Na época, as brigas envolvendo torcidas inglesas já eram registro comum. Em 1885, a goleada do Preston North End sobre o Aston Villa por 5 a 0 resultou em confusão e apedrejamento de jogadores. No ano seguinte, um conflito entre torcedores do Preston e do Queen’s Park Rangers numa estação ferroviária foi o primeiro fora de um estádio.

Dessa forma, o termo hooligan colou nos torcedores briguentos. Na década de 1960, a média de incidentes já era de 25 por ano. Quando o mundo acordou para o problema, após as tragédias de Heysel, em 1985, e de Hillsborough, em 1989, tinha-se passado quase um século desde a morte de Edward. Agiu-se tardiamente, e isso fez a sombra dele cobrir o futebol para sempre.

Compre o livro de Clarence Rook:
www.tower.com/hooligan-nights-clarence-rook-paperback/

3 respostas para “Edward Hooligan, o pai do hooliganismo”

  1. O estilo de vida ”Hooligan” sempre fez parte do imaginário Britânico, o livro Laranja Mecânica também gira em torno de uma gangue de arruaceiros, que inclusive se vestem com trajes do século XIX mesmo com o enredo da história se passando no século XXI.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

// Categorias

// Histórico de Publicações

// As mais lidas

Quer ser o primeiro a receber nossas novidades por e-mail?

    // TV Verminosos

    // Tags

    Compartilhe: