Stakecheia

Leaderboard - KTO

Papo sério

Futebol de Paris não se resume ao PSG

Quem disse que a capital francesa não tem clássicos? Saiba mais sobre o futebol da cidade

PinUp-Bet

melhor site de apostas futebol
Duelo entre Red Star e Paris FC, na 3ª divisão francesa. Há vida além do PSG no futebol de Paris (Foto: Divulgação)
Duelo Red Star x Paris FC, na 3ª divisão francesa. Há vida além do PSG em Paris (Foto: Divulgação)

A França é um raro país da Europa que não possui um clássico em sua capital. Bem, pelo menos não um duelo de alto nível. Porque o futebol de Paris não se resume ao Paris Saint Germain, o PSG, que sonha em se tornar um gigante mundial. Há outros clubes na cidade. E, considerando-se a região metropolitana, existem pelo menos 50 times, dentre profissionais, semiprofissionais e amadores.

Verminosos por Futebol lista outros clubes tradicionais, como Red Star, Racing Club e Stade Français, que formaram o trio de forças da cidade no início do século passado, bem antes do surgimento do PSG. O primeiro disputa atualmente a 3ª divisão francesa, onde rivaliza com o Paris FC, outro clube local, que por sinal chegou a dividir camisa com o PSG.

Nem os franceses entendem direito os motivos da existência de somente um grande time em Paris, uma cidade com 2,2 milhões de habitantes. “Não há uma razão clara. Infelizmente, a França não é a terra do futebol”, arrisca o designer francês Sylvain Cotte, o SLip, famoso por seus trabalhos boleiros.

Esse panorama de supremacia perdura há quatro décadas. “Houve uma tentativa com o Racing nos anos 80, mas sem torcida no estádio, o projeto não foi para frente”, aponta SLip. Em parte, a culpa por isso é da própria mídia. “Só veículos especializados falam do jogo Red Star x Paris FC”, exemplifica.

Dentre os 50 times da Grande Paris listados, quatro são equipes B, incluindo de PSG, Red Star e Paris FC. Além deles, saiba abaixo quais os demais clubes metropolitanos. E entenda a pirâmide do futebol da França, que conta com… 6 mil times em 18 divisões. Imagina se o povo francês fosse apaixonado por futebol!

“Não há uma razão clara”. (Sylvain Cotte, o SLip, sobre a existência de só um grande clube em Paris)

Red-Star-escudo
RED STAR 93

Nome: Red Star Football Club 93.
Fundação: 21/2/1897.
Endereço: 92, rue du Docteur Bauer, 93400, Saint-Ouen, Grande Paris.
Estádio: Stade Bauer (10 mil lugares).
Material esportivo: Adidas (em 2014/15).
Red-Star-1Red-Star-2Red-Star-3
Competição: 3ª divisão.
Títulos: 2 da 2ª divisão (1933/34 e 1938/39), 5 da Copa da França (1920/21, 1921/22, 1922/23, 1927/28 e 1941/42) e 1 do Regional de Paris (2004/05).
Site: www.redstar.fr.
Histórico: Antes do surgimento do PSG, formava o trio de forças da capital com Racing Club e Stade Français, que hoje estão em divisões inferiores. Sua última vez na elite foi em 1974/75.
Curiosidade: Foi fundado por Jules Rimet, que alguns anos depois comandaria a Fifa e criaria a Copa do Mundo. Sua torcida é formada por militantes de esquerda, em contraposição ao PSG, que possui a adesão de grupos de extrema-direita.

Público, o estádio Bauer, em Saint-Ouen, distrito de Paris, é usado pelo Red Star desde 1909. E sediou jogos de futebol da Olimpíada de 1924 (Foto: Divulgação)
Público, o estádio Bauer é usado pelo Red Star desde 1909. E sediou a Olimpíada de 1924 (Foto: Divulgação)

Paris-FC-escudo
PARIS FC

Nome: Paris Football Club.
Fundação: 1/8/1969.
Endereço: 17 rue Neuve Tolbiac, 75013, Paris.
Estádios: Sébastien Charléty (20 mil lugares).
Material esportivo: Nike (em 2014/15).
Paris-FC-1Paris-FC-2Paris-FC-3
Competição: 3ª divisão.
Títulos: 1 do Regional de Paris (1988/89).
Site: www.parisfootballclub.com.
Histórico: Fundiu-se ao St. Germain para formar o PSG em 1970, mas em 1972 divorciou-se e adotou o nome original. Em 1983, fundiu-se ao Racing Club. Em 1996, voltou a se chamar Paris FC.
Curiosidade: Mantém rivalidade com o Red Star, que vem enfrentando todos os anos na 3ª divisão desde 2011. Contra o PSG, só fez dois jogos oficiais, na última vez que disputou a elite, em 1978/79.

O estádio Sébastien Charléty faz parte de complexo esportivo mantido pelo governo (Foto: Divulgação)
Estádio Sébastien Charléty faz parte de complexo mantido pelo governo (Foto: Divulgação)

Racing-Club-escudo
RACING DE PARIS
Nome: Racing Club de France Colombes 92.
Fundação: 1882.
Endereço: Stade Yves-du-Manoir, 92700, Colombes, Grande Paris.
Estádio: Yves-du-Manoir (7 mil lugares).
Material esportivo: Nike (em 2014/15).
Racing-Club-1Racing-Club-2Racing-Club-3
Competição: 6ª divisão.
Títulos: 1 da 1ª divisão (1935/36), 1 da 2ª divisão (1985/86), 5 da Copa da França (1935/36, 1938/39, 1943/44, 1944/45 e 1948/49) e 1 do Regional de Paris (1972/73).
Histórico: Formou a trinca de forças do futebol de Paris, junto com Red Star e Stade Français, mas perdeu representatividade. Desde 1990, já caiu cinco divisões. Hoje, é mais conhecido pelo time de rúgbi union, sendo cinco vezes campeão francês.
Curiosidade: Já tendo contado com jogadores de grande nível como Littbarki e Francescoli, chegou a vencer a seleção brasileira por 2 a 0, em amistoso em Paris, em 1963. Inspirou o nome do Racing Club, um dos cinco grandes do futebol argentino.

Mais conhecido como Colombes, o estádio público sediou os Jogos Olímpicos de 1924 e a final da Copa do Mundo de 1938 (Foto: Divulgação)
O estádio público de Colombes sediou a Olimpíada de 1924 e a final da Copa de 1938 (Foto: Divulgação)

Stade-Francais-escudo
STADE FRANÇAIS
Nome: Stade Français Club Athlétique des Sports Généraux.
Fundação: 1883 (divisão de futebol em 1900).
Endereço: 2 rue du Commandant Guilbaud, 75016, Paris.
Estádio: Haras Lupin, em Vaucresson, na Grande Paris.
Stade-Francais-1Stade-Francais-2Stade-Francais-3
Competição: 14ª divisão francesa.
Títulos: 1 da 2ª divisão (1951/52) e 1 do Regional de Paris (1978/79).
Site: www.stadefrancais.com/football.
Histórico: Fez parte do trio de forças do futebol parisiense, ao lado de Red Star e Racing Club, mas perdeu muito espaço no futebol, em contraposição ao rúgbi, modalidade em que é 13 vezes campeão francês. Sua última vez na elite foi em 1966/67.
Curiosidade: O time de futebol recebeu o Paulistano de Friendenreich em 1925, sendo goleado por 7 a 1. Já o de rúgbi chegou a contar no fim do século 19 com Paulo do Rio Branco, filho do Barão do Rio Branco, o patrono da diplomacia, sendo o primeiro brasileiro a se tornar jogador de nível internacional na modalidade.

Longe do futebol profissional, o Stade Français passou a se dedicar ao trabalho de categorias de base (Foto: Divulgação)
Distante do profissionalismo, o Stade Français se dedicou ao trabalho de base (Foto: Divulgação)

 PSG-escudo
PSG

Nome: Paris Saint-Germain Football Club.
Fundação: 12/8/1970.
Endereço: 24, rue du Commandant-Guilbaud, 75016, Paris.
Estádio: Parc des Princes (48 mil lugares).
Material esportivo: Nike (2014/15). * Abaixo, uniformes de 2013/2014
PSG-1PSG-2PSG-3
Competição: 1ª divisão.
Títulos: 4 da 1ª divisão (1985/86, 1993/94, 2012/13 e 2013/14), 1 da 2ª divisão (1970/71), 8 da Copa da França (1981/81, 1982/83, 1992/93, 1994/95, 1997/98, 2003/04, 2005/06 e 2009/10) e 1 Recopa Europeia (1995/96).
Site: www.psg.fr.
Histórico: Foi formado por um grupo de parisienses que desejava um time forte, a partir da união do St. Germain com o Paris FC. Dois anos depois, o Paris FC desfez a parceria, iniciando um processo de queda, enquanto o PSG cresceu em prestígio. Em 2011, foi comprado por um grupo do Qatar, que deseja torná-lo um gigante mundial.
Curiosidade: Apesar de ser controlado por um grupo estrangeiro e de historicamente possuir um grande número de gringos no elenco, sobretudo sul-americanos e africanos, o clube tem na torcida grupos de extrema-direita branca nacionalista. Entre seus ídolos estão muitos brasileiros, como Ronaldinho, Raí, Leonardo e Thiago Silva.

Como com a construção do Stade de France, no distrito de St. Denis, preferiu seguir jogando no estádio de Paris (Foto: Divulgação)
Mesmo com a construção do Stade de France, o PSG preferiu seguir no Parc des Princes (Foto: Divulgação)

50 times da Grande Paris em 2014/15:

1ª divisão – PSG.
2ª divisão
– US Créteil-Lusitanos.
3ª divisão – Red Star e Paris FC.
4ª divisão – FCM Aubervilliers, JA Drancy, US Fleury-Mérogis, US Ivry, FC Mantois 78, Entente Sannois, Saint-Gratien, ES Viry-Châtillon e PSG B.
5ª divisão – UJAM Paris, AC Boulogne-Billancourt, Évry FC, Olympique Noisy-le-Sec, Paris FC B, AS Poissy, Sainte-Geneviève Sports, AS Saint-Ouen-l’Aumône, US Sénart-Moissy e Villemomble Sports.
6ª divisão – Racing Club, Blanc-Mesnil Sport Football, AF Bobigny, US Créteil-Lusitanos B, FC Issy-les-Moulineaux, FC Gobelins, FC Les Lilas, OFC Les Mureaux, CO Les Ulis, US Lusitanos Saint-Maur, FC Melun, FC Plessis-Robinson, Red Star B e FC Versailles 78.
Divisões regionais e distritais – Stade Français, AS Corbeil-Essonnes, RC Fontainebleau, AS Le Perreux, Francilienne 94, Levallois SC, Le Mée SF, USM Malakoff, CS Meaux Academy, CAP Charenton, CA Paris, Olympique de Paris e FC Saint-Leu.

Entenda a pirâmide do futebol francês:

1ª divisão (Ligue 1) – 20 clubes.
2ª divisão (Ligue 2) – 20 clubes.
3ª divisão (National) – 18 clubes.
4ª divisão (CFA) – 4 grupos de 16 clubes cada.
5ª divisão (CFA2) – 8 grupos de 14 clubes cada.
6ª divisão (Division d’Honneur) – 22 ligas de 14 clubes cada (salvo exceções).
7ª divisão (Division d’Honneur Régionale) – 22 ligas regionais, com um ou dois grupos de 10 a 28 clubes.
8ª divisão (Promotion d”Honneur) – 22 ligas regionais, com um ou dois grupos de 10 a 28 clubes.
9ª divisão (Promotion Ligue) – 22 ligas regionais, com um a quatro grupos de 10 a 48 clubes.
10ª divisão (Division d’Excellence) – 101 ligas distritais de 10 a 12 clubes.
11ª divisão (Première Division) – 101 ligas distritais, com um ou dois grupos de 10 a 24 clubes.
12ª divisão (Promotion de Première Division) – 101 ligas distritais, com um a quatro grupos de 10 a 48 clubes.
13ª a 18ª divisões – Subdivisões das ligas equivalentes a 12ª divisão.

Imagens deste post: Pari et Gagne

Veja o clima alternativo do duelo Paris FC x Red Star:

Leia também:

E-se-a-Ligue-1-liberasse-tabaco-e-alcool
www.verminososporfutebol.com.br/dica-cultural/e-se-a-ligue-1-liberasse-tabaco-e-alcool

18 respostas para “Futebol de Paris não se resume ao PSG”

  1. Parabens pela materia. Admiro muito o futebol frances, pela sua historia e talentos.É em outrubro derei o privilegio de conhecer a França e queria muito fazer alguns testes nos times de la, ja que no Brasil so tem oportunidade quem tem empresario, ou tem dinheiro.

  2. valeu Rafael pelo post, amo a Franca ate hoje tenho odio dos portugueses que expulsaram os franceses daqui do Maranhao. Era pra mim ta falando messi bocu,au re vuar kkkkkkkkkkkk brincadeirinha. Torco muito para o paris fc subir pra elite assim como torco para o meu querido sampaio correa voltar pra serie A brasileira.falando nisso faca um post se der e claro falando do derby maranhense Moto club e Sampaio Correa, te garanto apesar de estar atualmente em divisoes inferiores do futebol brasileiro,esses dois tem muita historia. Abracos

  3. Parabéns pela matéria…. estou indo para Paris agora no final de setembro/2015 pela 1ª vez e com certeza visitarei alguns desses clubes…. adoro jogar minha bolinha com os amigos…. Vc. sabe me dizer se em Paris o pessoal costuma se reunir para jogar uma bolinha juntos…. fazem um churrasquinho depois ? Qual é a cultura em torno deste esporte para os boleiros amadores ? Se existe algo parecido deve ser muito interessante, pois como em Paris há muitos imigrantes, imagino que no mesmo time tenha várias nacionalidades jogando junto.

  4. Muito boa a matéria. Me agrada acompanhar o futebol francês, acho particularmente diferente das outras ligas europeias.

    Vejo, por exemplo, clubes tradicionais como o Sète na CFA penando para voltar à elite, e alguns emergentes sonhando em um dia fazer um clássico também na elite, como os parisienses citados ou o Consolat, de Marselha, caçula da National.

    Parabéns então pela pesquisa, muito legal.

  5. Grande, Rafael. Belíssimo material, hein amigo? Vou divulgar aos fãs de futebol francês que tenho em um grupo de Facebook e na minha fan page da Ligue1… certamente!

    Uma dúvida: assistindo ao vídeo do Red Star, percebe-se que há uma bandeira da Argélia hasteada na torcida. E as cores do time remetem ao país também. Você sabe se existe alguma ligação…? Sei lá, talvez, seja um time criado por imigrantes argelinos ou algo do tipo…

    Um abraço! 😉

    • Obrigado, Filipe. O Red Star foi fundado por um grupo que contava com Jules Rimet, mas no início não tinha esse ideário esquerdista de hoje em dia. Como atualmente há muitos militantes na torcida, é possível que imigrantes tenham aderido ao time em virtude da receptividade. Lembre-se que a questão da imigração é um tabu na França, e esses grupos costumam ser oprimidos. Então a adesão a clube que os aceita se torna uma forma de integração. Um abraço! E agradeço a divulgação!

  6. Rafael, o futebol de lá sempre desde a fundação da liga na década de 1930 prezou pelo profissionalismo, em razão disso diversos clubes acabaram fundindo-se, mudando de cidade ou sendo vendidos a empresários, buscando assim evitar a falência por dívidas.

    Apesar disso ter trazido seriedade aos clubes do país, afastou o lado apaixonado do futebol, que é o que realmente o move.

    Um abraço,

  7. Muito bom trabalho de pesquisa,

    lembro que passei a seguir mais de perto o futebol francês quando desenvolvi meu TCC em Design Gráfico, onde estudei o processo de redesign dos escudos dos clubes do país.

    Sobre a decadência dos clubes tradicionais de lá, isso é normal, pois desde os seus primórdios os clubes franceses passaram por processos de fusão, compra, venda e mudança de identidade, dificultando o culto as tradições futebolisticas e adotando uma postura mais empresarial

    Um abraço,

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

// Categorias

// Histórico de Publicações

// As mais lidas

Quer ser o primeiro a receber nossas novidades por e-mail?

    // TV Verminosos

    // Tags

    Compartilhe: