Turismo

Vale a pena conhecer o Museu do Futebol do estádio Centenário, em Montevidéu

A cidade que sediou todos os jogos da primeira Copa do Mundo, em 1930, respira futebol

O museu foi inaugurado em 1975, sendo o 1º do mundo exclusivo ao esporte (Foto: Estádio Centenário)
O museu foi aberto em 1975, sendo o 1º do mundo exclusivo ao esporte (Foto: Estádio Centenário)

Por Sérgio Sá

Montevidéu é por si só um museu vivo do futebol. A cidade que sediou todos os jogos da primeira Copa do Mundo, em 1930, respira o esporte e conta até com uma rota turística que passa por vários dos estádios históricos. Um deles, claro, é o mais especial: o Estádio Centenário. Além de ter sido palco da primeira final dos Mundiais, lá fica o Museu do Futebol, uma parada obrigatória para todos nós, apaixonados pelo esporte.

O Museu foi inaugurado em 1975, sendo o primeiro do mundo dedicado exclusivamente ao esporte. Ele funciona de 10h às 17h e o preço da entrada é simbólico, comparado à quantidade de coisas que encontramos no local. Ricardo Amorim, viajante assíduo e editor de viagens no Guia55, classificou o local como um dos mais emocionantes que já visitou.

Quem já visitou o Museu do Futebol no Pacaembu, em São Paulo, logo sentirá a diferença. Enquanto o nosso tem uma pegada mais moderna, cheia de telas e conteúdos multimidiáticos, o uruguaio conta a história do futebol de maneira simples e direta, através de objetos reais. O acervo conta com objetos da Associação Uruguaia de Futebol, da Conmebol e da Fifa. São várias fotografias, troféus, camisas, medalhas, chuteiras, bandeiras, cartazes e jornais.

A parte mais rica do museu diz respeito às épocas gloriosas da seleção local. A conquista do bicampeonato olímpico, em 1924 e 1928, é contada através dos objetos, mas o destaque fica por conta da história que ocorreu ali mesmo: a primeira Copa do Mundo. Quem for ao Museu do Futebol encontrará diversos cartazes, fotos, uniformes e até a bola da final do Mundial.

Também é impressionante perceber a evolução do esporte durante a visita. O próprio estádio Centenário já deixa isso evidente, quando comparamos com as modernas arenas que tomam conta hoje em dia. No museu, temos a oportunidade de ver os equipamentos do passado, principalmente as chuteiras de craques lendários e as bolas de jogos importantes, percebendo como tudo mudou tão bruscamente. O sentimento de constatar como o tempo agiu sobre o esporte é algo único.

As medalhas douradas ganhas pela Celeste Olímpica e a cópia oficial da Taça Jules Rimet, substituta da que foi roubada e derretida no Brasil, também podem ser vistas no museu. Além disso, também há várias obras de arte que homenageiam grandes momentos do futebol. Ou seja, uma experiência simples, mas muito completa.

Através do site oficial do Museu do Futebol, é possível ter uma prévia da visita. Lá, uma grande foto interativa nos permite ver todos os detalhes de uma das salas do local. Se você for experimentar a visita virtual, dará de cara com uma foto gigante de um dos momentos mais tristes da história do futebol brasileiro: o Maracanã no dia da final da Copa de 1950, vencida pelo Uruguai.

Siga o Verminosos por Futebol:
Facebook
Twitter
Instagram
Youtube


// Categorias

// Histórico de Publicações

// As mais lidas

Quer ser o primeiro a receber nossas novidades por e-mail?

// TV Verminosos

// Tags

Compartilhe: