Verminosos por futebol




Viagem no tempo

O incrível gol de cabeça após bater ele próprio o escanteio

José Maria Cervi, o Russo, foi autor de um lance que virou lenda, em 1949, em Piracicaba (SP)

Jose-Maria-Cervi-Russo
José Maria Cervi, o Russo, marcou gol após bater o escanteio (Foto: Rocha Netto)

Ele fez o que nem Pelé e Maradona conseguiram. Algo inacreditável. Em Piracicaba (SP), um gol virou lenda passada de pai para filho entre a torcedores do XV. O dia em que um jogador cobrou escanteio, correu para a área e cabeceou para balançar a rede. Impossível? O protagonista, hoje com 86 anos, garante que não.

O feito aconteceu em 28 de agosto de 1949, no estádio Roberto Gomes Pedrosa. O autor foi o ex-atacante José Maria Cervi, o Russo, hoje advogado. “Chutei a bola e fui correndo para a área para pegar o rebote. Ventava muito, então antes de a bola bater em alguém, cabeceei”, relembra.

> LEIA TAMBÉM

O adversário era o Santos, que vencia por 2 a 1. Aos 41 minutos do 2º tempo, Cervi assinalou seu primeiro gol pelo XV de Piracicaba – o gol que marcou sua vida. E que entrou para a história centenária do clube do interior paulista. Pena que não houve registro em vídeo.

Uma reprodução, no entanto, foi feita no filme “Os Trapalhões e o Rei do Futebol”, de 1986, que teve participação de Pelé. O personagem de Renato Aragão bate o escanteio e cabeceia na área, cena engraçadíssima. “Só Russo fez isso”, vangloria-se Cervi, que atualmente mora em São Paulo.

“Chutei a bola e fui correndo para a área para pegar o rebote. Ventava muito, então antes de a bola bater em alguém, cabeceei”. (José Maria Cervi, o Russo)

Graças ao gol, o ex-jogador foi homenageado pelo XV de Piracicaba na festa dos 100 anos, em 15 de novembro de 2013. “Essa é uma história contada pelos torcedores mais antigos. Me orgulho de ter uma foto com Russo”, conta Ednilson do Carmo, o Zico, colecionador de camisas do clube.

Com o passar dos anos, surgiram muitas versões para a lenda. Para uns torcedores, quem cobrou o escanteio foi Gatão. Para outros, foi Cervi mesmo, mas a cobrança foi de falta, mais próxima à área. Sendo Cervi, a jogada foi irregular, pois o atacante não poderia dar dois toques na bola.

“Mister Snap errou, sei disso”, reconhece o ex-jogador. O árbitro, o inglês Percy Snap, acabou validando o lance. O erro foi perdoável. Um gol como esse não merecia a anulação. Merecia até aplauso do juizão.

Veja o gol impossível do personagem de Renato Aragão:


// Categorias

// Histórico de Publicações

// As mais lidas

Quer ser o primeiro a receber nossas novidades por e-mail?

// TV Verminosos

// Instagram

// Tags

Compartilhe: