https://1xpartners.com/home/login

Turismo

O estádio mais bonito do Brasil tem nome: é o Afonsão, de Careiro Castanho (AM)

Quase todo cercado por um rio, o estádio Afonsão conta com gandulas equipados com canoas

No Afonsão, a cada campeonato são perdidas 20 bolas que vão embora na correnteza (Foto: Reprodução)
No Afonsão, a cada torneio são perdidas até 20 bolas que se vão na correnteza (Foto: Reprodução)

Existe um estádio no Amazonas onde os gandulas trabalham a bordo de canoas. Culpa da geografia única do estádio Antônio Afonso Jacob de Souza, o Afonsão, da cidade de Careiro Castanho, a 86 km de Manaus. Localizado numa pequena península banhada pelo rio Castanho, ele é cercado por água em três lados.

A proximidade do rio, apesar de garantir beleza em imagens aéreas, causa um prejuízo prático. Qualquer chute mais forte para fora do estádio joga a bola lá nas águas. A solução é ter gandulas a postos em três canoas, distribuídas em cada lado do Afonsão.

“Muitas vezes a bola fica na margem por causa das copas das árvores, mas quando ela cai no rio os gandulas usam as canoas”, conta o educador físico Jamy de Carvalho Campos, gerente de esporte da prefeitura de Careiro – conhecida como Careiro Castanho, para diferenciar-se da vizinha Careiro da Várzea.

Terreno sem risco nas cheias

O estádio Afonsão foi inaugurado em 1994, e recebeu esse nome em homenagem ao ex-prefeito Antônio Afonso Jacob de Souza. Construído pela prefeitura, conta com 8 mil lugares – o suficiente para abrigar 1/5 dos 38 mil habitantes do município.

“O motivo da construção do estádio nesse local, cercado pelas águas, foi devido a doação do terreno, feita por um morador que tinha um time, o Iracema Futebol Clube, e porque o local é alto, sem risco de alagamento em caso de cheias”, explica Jamy.

Apesar de em fotos o estádio parecer estar bem ao lado do rio, a distância para a margem chega a ser de 50 metros. Mesmo assim, tem muito jogador que manda a bola lá onde o peixe dorme.

Afluente do Solimões, o rio Castanho é profundo e tem uma forte corrente. Por isso, é preciso de uma operação a cada jogo. Meninos da comunidade recebem R$ 40 para ficar nas canoas.

“Perdemos muitas bolas, pois quando elas vão muito distante não dá tempo de pegar por causa da correnteza. Já chegamos a perder 20 bolas por campeonato”, relata Jamy.

“Perdemos muitas bolas, pois quando elas vão muito distante não dá tempo de pegar por causa da correnteza”. (Jamy de Carvalho Campos)

O estádio Afonsão, mantido pela prefeitura de Careiro, tem 8 mil lugares (Foto: Reprodução)
O estádio Afonsão, mantido pela prefeitura de Careiro, tem 8 mil lugares (Foto: Reprodução)

Bola no rio pode render punição

O estádio Afonsão é palco dos jogos da liga local, que possui 12 times participantes, além de duelos de campeonatos das comunidades da região. A proximidade das águas obrigou os organizadores de torneios a proibir a tática de chutar a bola para o rio propositalmente.

“Nosso regulamento coíbe essa ação. Se for o caso de o atleta chutar a bola com a intenção de atrasar o jogo, e se isso for constatado pelo quadro de arbitragem, ele será punido com a suspensão de uma partida”, aponta Jamy, também presidente da liga.

Além dos jogos do campeonato municipal, um dos maiores orgulhos do Afonsão foi sediar o estadual em 1999. “Todos os anos, recebemos a Copa dos Rios, coordenada pela Federação Amazonense de Futebol”. Com esse nome, não tinha estádio mais oportuno para o torneio.

Em imagens de satélite fica mais fácil de entender a posição do estádio em relação ao rio (Foto: Google)
Em imagens de satélite fica fácil de entender a posição do estádio em relação ao rio (Foto: Google)

Vale o crédito!

O Verminosos por Futebol foi atrás dessa história graças ao Mário Adolfo Filho. 

Siga o Verminosos por Futebol:
Facebook
Twitter
Instagram
Youtube


// Categorias

// Histórico de Publicações

// As mais lidas

Quer ser o primeiro a receber nossas novidades por e-mail?

// TV Verminosos

// Tags

Compartilhe: