Turismo

Quer fazer um tour de futebol em Belo Horizonte? Saiba TUDO o que tem na cidade

O mineiro Lucas Abdo faz um roteiro completo de passeios de futebol para fazer em Belo Horizonte

Confira os pontos citados no artigo de Lucas Abdo, morador de BH (Foto: Reprodução Google)
Confira os pontos citados no artigo de Lucas Abdo, morador de BH (Foto: Reprodução Google)

Por Lucas Abdo

Você que é fã de futebol, seguramente, já planejou uma viagem pensando em como adaptar o roteiro turístico ao seu próprio gosto. Principalmente quando se trata da nossa maior paixão. Acontece que, pra gente, o “turismo” é o futebol, não é mesmo? Quem nunca sonhou em dar aquela força para o time de coração como visitante, em minoria? Você se sente um espartano e está ali pro que der e vier.

Porém, nem sempre é possível conciliar as folgas do trabalho com a temporada de futebol ou, mais raro ainda, coincidir o seu destino turístico com o local onde seu time vai jogar. Pensando nisso, como belo-horizontino que sou, tentarei deixar aqui a minha contribuição para aqueles que vierem se aventurar nas Minas Gerais atrás de atrativos ludopédicos.

O contexto da cidade

Antes de tudo, é importante contextualizar o início do futebol em Belo Horizonte, no começo do século XX. Ao contrário dos grandes centros econômicos como São Paulo e Rio de Janeiro, a capital mineira surgiu concomitantemente à chegada desse esporte ao Brasil.

Com, pelo menos 300 anos a mais, os dois exemplos urbanos citados já contavam com opções de esportes, como o cricket e o remo. Já no caso de BH, chutar a bola nos foi familiar desde o início da cidade.

É claro que não eram esportes completamente acessíveis à população, mas com o futebol não era diferente. Victor Serpa trouxe o futebol para o centro de Minas Gerais e, logo depois, fundou o primeiro clube da capital, o Sport Club Foot-Ball, em 1904.

É aí que começa nosso roteiro futebolístico, pois não poderia deixar de citar o Parque Municipal. Localizado às margens da principal avenida da cidade, a Afonso Pena, no coração do centro. O local já foi sede do campo do Sport Club após concessão do então prefeito, Benjamin Jacob, em 1908.

No mesmo ano e apenas a alguns metros de distância, dentro do mesmo Parque Municipal, um grupo de estudantes fundava o Clube Atlético Mineiro. Com a extinção do time de Victor Serpa, o Atlético é o time mais velho, em atividade, no estado.

Parque Municipal: Sede do 1º time, o extinto Sport Club, e onde surgiu o Atlético (Foto: Wikipedia)
Parque Municipal: Sede do 1º time, o extinto Sport Club, e onde surgiu o Atlético (Foto: Wikipedia)

A antiga casa do Decacampeão

Quatro anos mais tarde, em 1912, o América Futebol Clube era fundado. Se você já veio em Belo Horizonte alguma vez e nunca foi ao antigo estádio do Coelho, você não veio em Belo Horizonte. É como se fosse o Pelourinho para Salvador ou o Marco Zero para Recife. Estou falando do Mercado Central. Sim, se você reparar bem, na entrada da Avenida Augusto de Lima, há uma placa em homenagem ao antigo campo do América.

O Mercado Central foi construído sob esse campo histórico e não poderia deixar de ter alguma referência ao Decacampeão Mineiro. Dentre os inúmeros bares no centro comercial, você não pode deixar de conhecer o do Jorge Americano. As paredes são decoradas com pôsteres e flâmulas do América e tudo, eu disse tudo, é verde. Não ouse visitá-lo com uma camisa de outra cor.

Não ouse visitar o bar Jorge Americano com camisa de outra cor que não o verde (Foto: Rice and Noodles)
Não ouse visitar o bar Jorge Americano com camisa de outra cor (Foto: Rice and Noodles)

Sedes do Cruzeiro e do Atlético

Ainda na região central, no bairro Barro Preto, você pode conhecer a sede do Cruzeiro Esporte Clube, onde o time mandou os jogos entre as décadas de 1920 e 1940 quando ainda se chamava Palestra Itália. Onde hoje é o clube, funcionava o antigo Estádio Juscelino Kubitschek de Oliveira, o maior da cidade, com uma capacidade de 15 mil torcedores, até a construção do Independência para a Copa do Mundo de 1950.

A apenas 800 metros de distância, fica a sede do Clube Atlético Mineiro, no bairro de Lourdes, ao lado do terreno onde o time também tinha seu estádio, o Presidente Antônio Carlos. Quem passar por lá, hoje em dia, vai se deparar com um shopping, mas vale a pena visitar o memorial do clube na fachada da sede, com uniformes e troféus expostos.

Não sei quanto a vocês, mas eu sempre junto uma graninha pra tentar trazer algum artigo esportivo dos lugares aonde vou. Quer uma dica de paraíso? A loja Futclassics, no bairro Floresta, ainda próximo ao centro da cidade, funciona como uma espécie de brechó do futebol. Eles vendem camisas usadas e seminovas de times do mundo inteiro.

Falo isso porque já deixei de trazer camisas novas oficiais de times de outros estados, por exemplo, pois sabemos que não é barato. Já nesta loja, você pode garimpar alguma de seu interesse por um preço bem mais em conta. Se a grana não for o seu problema, nas sedes do Cruzeiro e Atlético têm as lojas oficiais de cada um deles.

Sede do Atlético-MG fica no bairro de Lourdes, na região central (Foto: Bruno Cantini/Atlético)
Sede do Atlético-MG fica no bairro de Lourdes, na região central (Foto: Bruno Cantini/Atlético)
Sede do Cruzeiro fica no bairro Barro Preto, na região central (Foto: Washington Alves/Toca da Raposa 3)
Sede do Cruzeiro fica no bairro Barro Preto, na região central (Foto: Washington Alves/Toca 3)
Futebol amador também tem

Dando continuidade ao nosso roteiro futebolístico por BH, agora numa pegada mais raiz, indico dois campos de várzea onde são disputados campeonatos amadores. O mais famoso deles, a Copa Itatiaia, tem sua fase final disputada em janeiro. Normalmente, o último jogo é, inclusive, no Estádio Raimundo Sampaio, o Independência.

Porém, para chegar a disputar a final no estádio de 23 mil lugares, os times têm que passar pelo terrão primeiro. A Arena Inconfidência, do Inconfidência, e o Campo do Santa Cruz, do Santa Cruz, são os dois mais famosos. Este último foi passagem da Rainha Marta em início de carreira, quando ela tinha apenas 17 anos. Ambos possuem pequenas arquibancadas de cimento que podem nos matar a saudade do antigo futebol Pré-Copa.

Assim que acaba a temporada do futebol amador, começa a do futebol feminino. O Campeonato Brasileiro, normalmente, é disputado entre fevereiro e setembro. Atualmente, o Cruzeiro disputa a série A1, enquanto Atlético e América estão na A2 nacional.

Os três times mandam seus jogos no Estádio das Alterosas, na zona norte da capital, dentro de uma das unidades do Sesc. Ele tem capacidade de, aproximadamente, 2 mil pessoas. Com três times na cidade, é quase certo que você passará sua estadia na mesma semana de um jogo das mulheres.

Um pouco mais distante, os clubes instalaram seus centros de treinamento. Talvez pela falta de um espaço adequado e pela especulação imobiliária. O CT do Coelho e a Cidade do Galo, por exemplo, ficam na região metropolitana de BH.

Já a Toca da Raposa, apesar de estar localizada na capital, também fica afastada do centro. Seria um lugar interessantíssimo de visitar, mas o acesso é difícil. Nas raras oportunidades em que os torcedores vão aos CTs, eles o fazem em troca de pontuação no programa de Sócio Torcedores.

Estádio das Alterosas é palco dos times femininos locais (Foto: Renato Cobucci/Divulgação)
Estádio das Alterosas é palco dos times femininos locais (Foto: Renato Cobucci/Divulgação)
A capital dos bares (também de futebol)

Falar de BH e não falar dos bares seria um disparate. A capital dos botecos também reúne os aficionados de futebol em dias de jogos. Do lado alvinegro da cidade, os mais famosos são o Bar do Salomão, no estilo “copo sujo”, com camisas e pôsteres nas paredes, e o Pulero Bar, um pouco mais sofisticado, com TVs e lugares para sentar. Já do lado azul e branco, tem a requintada Confraria Celeste, cuja temática é voltada toda para o Cruzeiro.

Se você for um visitante flamenguista, a opção é o Alemão Esporte Bar, ponto de encontro de torcedores do Flamengo; já se você for um corintiano, o local ideal para ver jogos é o Bar do Corinthians.

Uma alternativa “neutra”, mas não menos futebolística, seria o Itatiaia Rádio Bar. Itatiaia é a principal rádio de notícias, sobretudo as de futebol, de Minas Gerais. Nos dias dos jogos, eles sincronizam a própria narração com o delay da transmissão da TV para evitar que algum desmancha prazeres grite gol antes da hora. A maioria dos bares citados ficam próximos à Avenida do Contorno, na região central da cidade.

O Mineirão conta com um dos melhores museus de futebol do país (Foto: Divulgação/Wikipedia)
O Mineirão conta com um dos melhores museus de futebol do país (Foto: Divulgação/Wikipedia)
Os estádios de BH

Por fim, os templos do futebol! É claro que eu não poderia deixar de falar dos estádios da capital mineira. O Estádio Governador Magalhães Pinto, o Mineirão, é o nosso panteão.

Inaugurado em 1965, num jogo entre a Seleção Mineira e o River Plate, o estádio já recebeu inúmeros jogos importantes. Foi palco de cinco finais de Libertadores, três jogos da Copa das Confederações, seis da Copa do Mundo de 2014 e dez das Olimpíadas de 2016. É, atualmente, o quinto maior estádio de futebol do Brasil, mas, à época da inauguração, foi considerado o segundo maior do mundo, atrás apenas do Maracanã.

O Mineirão, localizado próximo às margens da Lagoa da Pampulha, conta com visitas guiadas pelo interior do estádio, onde tem também o Museu Brasileiro do Futebol, com destaque para o futebol mineiro. O estádio é público, porém com administração privada da Minas Arena.

Já o Independência, inaugurado para a Copa do Mundo de 1950, pertencia ao extinto Sete de Setembro (para quem não sabia, isto explica o nome da cancha). Hoje em dia, completamente reformulado, é propriedade do América. Sediou três jogos da Copa do Mundo de 1950, vários jogos importantes da Copa Libertadores da América e serviu de treino para as seleções brasileira e argentina.

Sua capacidade atual é de 23 mil lugares, mas, antes das cadeiras, cabiam mais de 30 mil pessoas. É possível visitar o Independência, porém mediante agendamento prévio para grupos de dez pessoas.

Por último, vale lembrar que o Atlético está, nesse momento, em fase inicial de construção do seu estádio, a Arena MRV, no bairro Califórnia, na zona oeste da capital. O projeto de 46 mil lugares prevê também um espaço de visitação e museu do clube.

O Independência, palco da Copa de 1950, pertencia ao extinto Sete de Setembro - por isso o nome (Foto: América-MG)
O Independência, palco da Copa de 1950, pertencia ao extinto Sete de Setembro – por isso o nome (Foto: América-MG)

Outro time tradicionalíssimo de Minas Gerais é o Villa Nova. O Leão do Bonfim, como é conhecido, tem sede em Nova Lima, região metropolitana de BH. É o quarto maior vencedor do campeonato estadual, com cinco títulos (quatro deles de forma consecutiva). Atualmente, o Villa disputa a série A do Campeonato Mineiro e a série D do Campeonato Brasileiro.

O clube manda seus jogos no Estádio Castor Cifuentes, com capacidade para 5 mil torcedores, a 23 km do centro de Belo Horizonte. Para quem estiver disposto, o ingresso é barato, a cerveja é liberada e é onde o futebol de verdade acontece.

> Lucas Abdo, de 29 anos, geógrafo e cozinheiro, nasceu e mora em Belo Horizonte e é torcedor do Atlético-MG. Ele já foi tema de uma matéria do Verminosos por Futebol, depois que conseguiu visitar os 12 estádios da Copa do Mundo de 2014.

Siga o Verminosos por Futebol:
Facebook
Twitter
Instagram
Youtube


// Categorias

// Histórico de Publicações

// As mais lidas

Quer ser o primeiro a receber nossas novidades por e-mail?

// TV Verminosos

// Tags

Compartilhe: