Verminosos por futebol




Papo sério

Copa da França: o maior torneio do mundo

Não há nada parecido no planeta. A Copa da Inglaterra, por exemplo, é 10 vezes menor

A Copa da França reúne 7 mil times profissionais e amadores em formato mata-mata (Foto: Divulgação)
A Copa da França reúne 7 mil times profissionais e amadores num mata-mata (Foto: Divulgação)

Um campeonato cuja abertura é realizada antes mesmo da final da edição anterior pode soar bagunçado. Porém, tratando-se da Copa da França, é exatamente o oposto. Afinal, é preciso muuuuita organização para promover um torneio com mais de 7 mil times profissionais e amadores de 18 divisões, além de representantes de oito territórios franceses pelo mundo. Com tantos participantes, a temporada extende-se por 13 meses, de abril a maio do ano seguinte.

Não há nada parecido no mundo. A Copa da Inglaterra, por exemplo, é 10 vezes menor. Já a Copa do Brasil, o mata-mata do “país do futebol”, tem quase 90 vezes menos clubes. Diferentemente delas, a Coupe de France reúne todos que queiram participar, desde que tenham um campo. A primeira edição, em 1917/18, teve 48 times. Atualmente, para acomodar o número que chegou ao recorde de 7.656 em 2012/13, são realizadas 14 fases, em formato eliminatório com jogo único.

> LEIA TAMBÉM

As primeiras fases são distritais, depois chegam as regionais e por fim é a vez das nacionais. Os clubes da 1ª divisão entram na 9ª fase, quando sobram os 64 melhores. Para garantir emoção ao torneio, times de duas divisões abaixo do adversário têm o direito de jogar em seu estádio. Nos outros confrontos, um sorteio define o local da partida. “A Copa da França tem um modelo único”, aponta o designer francês Sylvain Cotte, o SLip, autor da coleção Away Kit.

Exceto gigantes mantidos à base de petrodólares como PSG e Monaco, a disparidade é pequena entre a maioria dos clubes acima da 3ª divisão. “Muitos desses times contam com jogadores que foram formados em equipes da elite. Eles não teriam chance numa disputa de liga, mas numa decisão em jogo único existe margem para surpresas”, salienta SLip, torcedor do St. Etienne.

O Guingamp, campeão em 2013/14, levou grande torcida à final no Stade de France (Foto: Kop Rouge/Mouvement Ultra)
O Guingamp foi campeão na temporada 2013/14, em Paris (Foto: Kop Rouge/Mouvement Ultra)

Para evitar lesões como a do colombiano Falcão em 2014, em jogo do Monaco contra um time da 4ª divisão, os principais clubes costumam poupar seus principais jogadores em duelos contra adversários pequenos. Assim, diminuem os riscos de sofrer desfalques na liga da França ou em competições europeias. O que contribui ainda mais para zebras. “Os franceses gostam de ver um grande perdendo”, contextualiza o jornalista Sébastien Couix, autor do site PKFoot.com.

> LEIA TAMBÉM

E sobram camisas pesadas perdendo na Copa da França. O Chambéry Savoie, da 5ª divisão, conseguiu eliminar três times da elite em 2011, caindo nas quartas-de-final. Já os mais famosos casos que culminaram com o jogo decisivo no Stade de France, em Paris, foram do Quevilly, finalista quando disputava a 3ª divisão, em 2012, e do Calais, vice-campeão mesmo sendo um modesto clube da 4ª divisão, em 2000.

“O feito do Calais, ao eliminar vários grandes, é uma bonita história do futebol francês. Ele lutou bem na decisão contra o Nantes, mas perdeu após um pênalti defendido”, relembra Sébastien, saudoso da cena histórica dos dois capitães erguendo a taça. “Foi uma metáfora que remete à Revolução Francesa em 1789, quando o povo chegou a Paris para lutar contra a realeza”, compara o torcedor do Bastia.

Cena histórica: o capitão do Calais (dir), da 4ª divisão, é convidado a levantar a taça junto com o capitão do Nantes, após a decisão da Copa da França de 2000 (Foto: Memosport)
Cena histórica: o capitão do Calais (dir), da 4ª divisão, é convidado a levantar a taça junto com o capitão do Nantes, após a decisão da Copa da França de 2000 (Foto: Memosport)

Esses minutos de fama estão ao alcance inclusive das colônias francesas, que podem inscrever clubes no torneio. Os departamentos ultramarinos de Guadalupe e Martinica, no Caribe; Guiana Francesa, na América do Sul; Mayotte e Reunião, na África; e Nova Caledônia, Polinésia e Taiti, na Oceania, contam com representantes. Após seus próprios qualificatórios, eles entram na disputa a partir da 7ª fase, entre os 256 melhores.

O jet lag da viagem até a Europa e a disparidade financeira, porém, são obstáculos. “Nesta edição, o mais longe que um time do exterior alcançou foi a 9ª fase”, indica Sébastien. Mesmo assim, não importa: para milhares de clubes participantes, franceses ou estrangeiros, a Copa da França é momento de recitar um slogan dos Jogos Olímpicos – por sinal, competição recriada pelo francês Barão de Coubertin. “O importante é competir”.

Site da Federação Francesa de Futebol:
www.fff.fr

Times pequenos que fizeram história:

Escudo-Calais
Calais Racing Union Football Club

Primeiro time amador a chegar à final, em 2000, o Calais, da 4ª divisão, eliminou Lille, Cannes, Estrasburgo e Bordeaux. Perdeu só para o Nantes, diante de 78 mil torcedores em Paris.

Escudo-US-Quevilly
Union Sportive Quevilly

O US Quevilly, da 3ª divisão, eliminou Rennes e Boulogne e caiu nas semifinais para o PSG, que seria campeão em 2010. Em 2012, derrubou Olympique de Marselha e perdeu na final para Lyon.

Escudo-Carquefou
Union Sportive Jeanne d’Arc Carquefou

O Carquefou, então na 5ª divisão, eliminou o Olympique de Marseilha em 2008, caindo nas quartas-de-final em duelo contra o PSG.

Escudo-Montceau
FC Montceau Bourgogne

O Bourgogne, da 4ª divisão, eliminou Bordeaux e Lens, mas caiu nas semifinais de 2007, em duelo contra o Sochaux.

Escudo-Chambery
Stade Olympique de Chambéry

O Chambéry Savoie tornou-se em 2011 o primeiro time da 5ª divisão a eliminar três adversários da 1ª: Monaco, Brest e Sochaux. Só caiu nas quartas-de-final, diante do Angers.

Entenda a diferença:
Enquanto a Copa da França envolve todos os times do país, a Copa da Liga Francesa reúne somente os profissionais (cerca de 40), desde 1994/95. Assim como o torneio mais antigo, vale vaga ao campeão na Liga Europa. Seu atrativo financeiro faz alguns clubes priorizarem a Coupe de la Ligue em detrimento da Coupe de France, apesar desta ter muito mais prestígio do público. Em 2014/15, a final da Copa da França será no dia 30 de maio, no Stade de France.

Clique no link e leia também:

Futebol-de-Paris-nao-se-resume-ao-PSG
www.verminososporfutebol.com.br/papo-serio/futebol-de-paris-nao-se-resume-ao-psg


// Categorias

// Histórico de Publicações

// As mais lidas

Quer ser o primeiro a receber nossas novidades por e-mail?

// TV Verminosos

// Instagram

// Tags

Compartilhe: